Posts tagged IFPA

Participe do Dia da Liberdade dos Documentos no IFPA


Nessa próxima quarta-feira, no dia 28 de março, irá acontecer no auditório do Instituto Federal do Pará – Campus Santarém, rua Marechal Castelo Branco – 621, o DFD (Document Freedom Day), a partir das 18:30h. O DFD é um evento que acontece simultaneamente em diversas cidades do mundo e tem por objetivo destacar a importância do uso dos formatos e padrões abertos e gratuitos de documentos.

 Nesse primeiro encontro, serão realizadas 2 palestras e uma mesa redonda para discutir a importância da adoção de padrões abertos de documentos nas Instituições de Ensino Superior de Santarém, a Lei ODF e liberdade documental. Esse evento de cultura digital é mais uma realização da comunidade Open Tapajós – Software Livre. Entrada franca!

Para conhecer mais sobre padrões abertos acesse também:

https://casabrasilstm.wordpress.com/2011/12/31/padroes-abertos-e-distribuicoes-livres-marcam-o-ii-encontro-nacional-de-tecnologia-e-informacao

http://www.revista.espiritolivre.org/document-freedom-day-rio-de-janeiro-28-de-marco-de-2012

 

Leave a comment »

Audiência com a Prefeita sobre Cultura Digital Amazônica


Por Adriane Gama

Instituições governamentais e movimentos do segmento de cultura digital estiveram juntos, pela manhã de ontem, dia 31 de agosto, na sala de reuniões do Gabinete da Prefeita Maria do Carmo, participando de uma audiência com a Secretária Nacional de Inclusão Digital, Sra. Lygia Puppato, do Ministério das Comunicações, Erivelto Santos (IFPA), João Weyl (UFPA) e Ricardo Carvalho (SERPRO). O objetivo principal desse encontro foi articular ações de apoio para a concretização do Pólo Tecnológico de Software Livre no Baixo-Amazonas, uma política de desenvolvimento com base no conhecimento, economia solidária e nas novas tecnologias digitais. A ideia é dar escala ao projeto Jovens Programadores (Jovens CodeirXs), fazendo formação tecnológica e solidária na área de cultura digital e desenvolvimento de programas de computador usando os espaços de inclusão digital da Prefeitura como os laboratórios das escolas municipais com o apoio de alunos e professores do curso de sistema de informação do IFPA.

Na ocasião do encontro, a secretária Lygia Pupatto disse que é muito importante esses encontros presenciais pois servem para conhecer a realidade peculiar de cada região, da zona urbana a periferia e da zona rural a comunidades ribeirinhas, e ficou entusiasmada com o acompanhamento de espaços digitais comunitários e de conhecer o mapa da Inclusão Digital Santarena produzida pelos jovens das comunidades. No final da reunião, a Prefeita Maria do Carmo concordou com a proposta coletiva e se comprometeu em apoiar o projeto Pólo Tecnológico de Software Livre, enfatizando a importância de se começar a trabalhar dentro das escolas municipais e até mesmo sugeriu que fizesse um encontro de cultura digital da juventude no parque da cidade.

O Coletivo Puraqué é um dos principais articuladores do Pólo Tecnológico de Software Livre na região, trabalhando em parceria com o Núcleo de Informática Educativa da SEMED, Pontão de Cultura Digital do Tapajós, Jovens CodeirXs, Projeto Saúde e Alegria, Casa Brasil de Santarém, UFOPA e IFPA. O pólo tecnológico também se mobiliza nacionalmente com o SENAES (Secretaria Nacional de Economia Solidária), ITEIA (Rede Colaborativa de Cultura, Arte e Infomação), SENID (Secretaria Nacional de Inclusão Digital), Pontões de Cultura Digital e SERPRO (Serviço Federal de Processamento de Dados). Este movimento colaborativo se propõe em realizar ações em conjunto com empresas ligadas a área de cultura digital e desenvolvimento de software interessadas em investir em Santarém, para contribuir com eventos como Feira Cultura Digital dos Bairros e Comunidades, FASOL e de Dados Abertos, implementar Rede Livre STM (conectando as Associações de Moradores) e fomentar cooperação internacional para realização, no ano que vem, do Fórum Pan-amazônico de Cultura Digital.

Comments (2) »

A Força da Mulher no III-Fasol – Uma questão de gênero e tecnologia


Informações extraídas do site: http://fasol.org.br/node/36

Por Bruna Jaqueline

A presença da mulher tem se tornado cada vez mais importante dentro da sociedade. O seu avanço frente à economia, educação e principalmente à politica tem sido um marco na história daquela que até então é/era considerada o sexo frágil. Sua habilidade e competência em conseguir trabalhar com variados assuntos, e ainda assim cuidar do lar, tudo ao mesmo tempo, são suas aliadas nesse caminho de conquistas.

Na área da tecnologia, a força feminina ainda é ‘tímida’, mas no FASOL ela já tem seu espaço reservado. Será através de uma mesa redonda mediada por *Adriane Gama – Projeto Puraqué, que as mulheres do Software Livre, Paloma Costa, Izabel Valverde e Cristiane Oliveira, debaterão a presença feminina no SL, compartilhando informações e experiências.

A mesa redonda será no dia 02 de setembro, às 20:30, no auditório castanheira do IFPA.

*Adriane Gama – (Bióloga e ativista em software livre, Coordenadora da Casa Brasil de Santarém)

Gênero e Tecnologia

Por Cíntia Araújo

Desde criança tentam nos impor que existem diferenças entre homem e mulher, de acordo com algumas pessoas temos brincadeiras para as meninas e para os meninos. As meninas só devem brincar de boneca, de fazer comidinha, tomar conta de uma casa, lavar roupa, de ser submissa ao homem, já os meninos, jamais devem brincar com bonecas, seu brinquedo é o carrinho, bola, peteca… Os pais incentivam o menino quebrar o brinquedo e tentar consertá-lo, mas se uma menina faz isso logo leva uma bronca, se ela brinca de carrinho leva outra bronca, pois carrinho é brinquedo para menino!! Que fique certo. A partir dai que começamos a perceber a relação de Gênero, o que o homem pode e o que a mulher não pode fazer.

Na Casa Brasil de santarém, quebramos esse paradigma, e destacamos a importância de se trabalhar com a questão do Gênero e Tecnologia, pois devemos respeitar tanto os homens quanto as mulheres, todos temos direitos e deveres, que são iguais tanto para um quanto para outro. Aqui as meninas e os meninos aprendem a dismistificar a caixa preta, a fazer manutenção nos computadores e edição de vídeo, cursos que antes só eram direcionados a meninos, o Software Livre veio para quebrar essa ideia de que só os homens podem trabalhar com informática, temos programas muito bons que foram programados por mulheres, o Cinelerra (programa para edição de vídeo), por exemplo, foi construído por mulheres. Gente, não queremos que o mundo seja dominado pelas mulheres! O que desejamos é que tod@s sejam iguais, respeitando uns aos outros.

Força digital para todas as mulheres que participam da Casa Brasil, Infocentros, Telecentros, NIE, Cineclubistas e Pontos de culturas na nossa região. Que apareçam mais Josianes, Elianes, Cintias, Adrianes, Rúbias, Alessandras, Jéssicas, Nadilenes, Luzinetes, Joelmas, Joices, Brunas e Marias…

Comments (2) »

Encontro de REA no IFPA


Ralffy dos Santos

No dia 28 de maio, no auditório do IFPA (Instituto Federal do Pará), aconteceu a palestra de recursos educacionais abertos (REA). Na ocasião do evento, teve como palestrantes: Pedro Markun (Diretor da Esfera, um dos fundadores da comunidade Transparência Hacker) e Luciana Scurcialupi (professora da escola Politeia em São Paulo, formada em jornalismo e membro da comunidade REA) e Jader Gama (Coordenador do NIE- Núcleo de Informática Educativa, membro do Coletivo Puraqué). Esta palestra iniciou às 8:30h com as inscrições dos participantes, os quais algumas delas também foram feitas com a moeda Muiraquitã (moeda social utilizada pelo Coletivo Puraqué). A abertura oficial do evento começou com a apresentação dos palestrantes tendo como mediadora Adriane Gama (Casa Brasil de Santarém). Após uma dinâmica coletiva, teve o pronunciamento do Professor Denis Robhyson, professor representante do IFPA.


A professora Luciana Scucialupi ilustra sua palestra com um video que faz parte de um material didático que esta compartilhado na internet e pode ser usado para estudo ou sala de aula com Recursos Educacionais Abertos cujo conteúdo é uma troca de conhecimentos livres. Falou também de suas experiências como professora de tecnologia na escola Politeia com crianças especiais. Após a apresentação de Luciana, Pedro Markun mostrou um video ilustrativo sobre cultura digital, que relata a ligação entre cultura digital, dados abertos na internet e Recursos Educacionais Abertos.


Dando continuidade, Jader Gama fala sobre o Coletivo Puraqué, cultura digital, software livre e economia solidária em Santarém. Compartilhou suas experiências que vem desenvolvendo na Amazônia. Após as palestras, iniciou o bate papo onde os participantes que estava presentes contaram suas experiências e atividades nos seus espaços de trabalho. Por fim, os palestrantes fizeram suas considerações finais. Jader Gama, ressaltou que a cada mês acontecerá essas palestras educativas de cultura digital em outros locais. Na quinta-feira, serão entregues os certificados nos seguintes locais: Casa Brasil de Santarém, Puraqué e IFPA. Fique ligado por aqui sobre o próximo encontro sócio-digital, com o tema Ética Hacker. Participem!

Leave a comment »

Recursos Educacionais Abertos na Casa Brasil e no IFPA



O Coletivo Puraqué que atua na área de Cultura Digital, Inclusão Digital e Software Livre há pouco mais de 9 anos na região Oeste do Pará, está viabilizando uma série de palestras e mini-cursos acerca de temas como comunicação digital, reapropriação tecnológica, usos da tecnologia da informação na formação de professores, cultura digital na educação, dados abertos, empreedimentos colaborativos e negócios inovadores. Estes encontros vão ser realizados todos os meses em parceria com o IFPA-Santarém, tendo como objetivo compartilhar conhecimentos de software livre, comunicação e educação com pesquisadores, acadêmicos, professores e a todos interessados em multiplicar a inteligência coletiva da “Pérola do Tapajós” e região. Além de viabilizar economicamente o empreendimento inovador do projeto denominado Produtora Colaborativa Livre, que é formado por jovens da grande área do Santarenzinho e Maracanã.

O primeiro evento será realizado entre os dias 27 e 28 de maio, com duas atividades distintas, a primeira acontecerá nas dependências da Casa Brasil de Santarém, que será o Encontro REA + Cultura Digital, com início às 9h, onde participarão desse encontro: acadêmicos do IFPA, UFOPA, além de professores e diretores da rede municipal de ensino (Núcleo de Informática Educativa da SEMED), infocentristas, telecentristas, pontos de cultura, 5ª URE, integrantes da Casa Brasil, Coletivo Puraqué, Secretaria de Educação de Juruti, Secretaria de Educação de Belterra. O encontro que está sendo realizado em parceria com o Núcleo de Informática da SEMED, Casa Brasil de Santarém e o Pontão de Cultura do Tapajós, no dia 27, será gratuito.

Já no dia 28 de maio, sábado, a partir das 9:30h da manhã, no auditório do IFPA, será realizada uma palestra sobre Recursos Educacionais Abertos e as TIC’s na Educação. A palestra é aberta a todos interessados, sendo que será solicitada uma taxa de colaboração no valor de R$15,00 para inscrições individuais e R$10,00 para inscrições de grupos (a partir de 5 pessoas). As inscrições estão abertas na Casa Brasil de Santarém (Rod. Fernando Guilhon, 12 – Santarenzinho), na Casa Puraqué (Rua Travessa Vitória Régia, 223, Amparo, próximo a fábrica de asfalto) e no IFPA (Avenida Marechal Castelo Branco, 621 – Interventoria). Mais informações clique no site do Puraqué: http://puraque.org.br/palestras/

Recursos educacionais abertos (REA) é um esforço de uma comunidade internacional impulsionado pela Internet para criar bens educacionais pertencentes à humanidade. A definição mais geral dos REA é “materiais digitais oferecidos livre e abertamente para que educadores, estudantes e alunos autônomos possam usá-los para o ensino, aprendizagem e pesquisa”.

Saiba mais sobre a importância do REA, neste link abaixo:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Recursos_educacionais_abertos

Entre os facilitadores e palestrantes estão:

Lu Scuarcialupi – Professora de tecnologia da Escola Politeia, é membro da comunidade de Recursos Educacionais Abertos e desenvolve projetos ligados a educação e tecnologia na Casa de Cultura Digital. No caminho até se tornar professora, Luciana se formou em jornalismo, pela Faculdade Cásper Líbero, em ciências sociais, pela USP. Escreveu – não sozinha! – um livro: o Cama de Baleia, trabalho de conclusão de curso sobre a construção da Usina Hidrelétrica de Sobradinho. Trabalhou na Editora Abril como repórter e editora. Nas Editoras Moderna e Abril Educação fez roteiros de objetos educacionais digitais e produziu material de apoio para professores em sala de aula. Foi pesquisadora do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento, o Cebrap, e do Ministério da Cultura – onde estudou a implementação das oficinas de formação para agentes dos Pontos de Cultura. Hoje desenvolve projetos que fazem uso de tecnologia junto com as crianças da Politeia. Seus planos de aula e atividades em sala já são Recursos Educacionais Abertos e logo mais estarão disponíveis no site da Escola.

 Pedro Markun – Diretor da Esfera, membro da comunidade REA Brasil e um dos fundadores da comunidade Transparência Hacker. Ativista pelos dados abertos e por novas maneiras de fazer política na rede. Criou o clone do blog do planalto e o aplicativo chequeurl que cruza informações de notícias com doadores de campanha.

Jader Gama – Membro do Coletivo Puraqué, Coordenador do Núcleo de Informática Educativa da SEMED/Santarém, um dos fundadores a comunidade OpenTapajós (FASOL), idealizador da Feira Cultura Digital dos Bairros e Comunidades e do Fórum Amazônico de Cultura Digital, coordena o projeto Jovens CodeirXs da Casa Brasil e faz parte da rede metareciclagem, telecentros.br, transparência hacker, é articulador do Pontão de Cultura Digital do Tapajós e da Rede Mocambos no Baixo-Amazonas. É ativista de software livre e das novas maneiras utilizar as redes digitais como canal para a democracia colaborativa.

Comments (1) »

Monitores participam das oficinas práticas digitais do GESAC


Por Rogério Marques

As últimas oficinas da formação do Gesac, no dia 20 de janeiro, no infocentro da Casa Brasil de Santarém, finalizaram com Gráfico tendo noções de gimp e Inkscape, facilitadas pelo promotor digital, Don Perna. Ele também facilitou uma oficina de blog para os monitores telecentristas, na qual foi mostrada as principais ferramentas de um blog no wordpress, como fazer uma postagem, subir uma imagem ou um vídeo, mudar o tema e entre outras ferramentas.

Pela tarde, o tutor Carlos Alberto juntamente com o professor Mario Nunes, da IFPA de Belém, ministraram uma oficina de redes, mostrando os principais componentes deste assunto, como lan (rede local), wan (rede de longa distância), cabeamento e estrutura de rede, fechando com uma aula prática de crimpagem de cabo de rede. O objetivo dessas oficinas foi incentivar cada monitor a praticar esses conhecimentos adquiridos nesta formação em seus espaços de laboratórios digitais da sua comunidade.

Leave a comment »

%d blogueiros gostam disto: