Posts tagged Curta em Circuito

Projeto Curta em Circuita em Ação


Por Josiany Amorim

Foi realizado no auditório da Casa Brasil a II Etapa da Formação do Projeto Curta em Circuito, que teve como Facilitador Paulo Fehlauer, que contou com a participação do Coletivo Puraqué, Colaboradores 2011 e Equipe da Casa Brasil. Devido as experiências, Paulo Fehlauer mostrou vários documentários que foram feitos nas cidades na qual o projeto percorreu e deu várias dicas de filmagens. Com o intuito de criar um documentário na oficina de multimídia realizada aqui em Santarém, foram formadas duas equipes, que saíram em busca de pessoas da cidade para assim fazerem as filmagens, equipes colocaram a mão na massa, ou melhor, a mão nas câmeras e assim partiram em ação.

Com personalidade e história diferentes, foram entrevistados duas grandes pessoas na qual mostraram seus trabalhos e suas experiências de vida; Antônio Camargo e Francisco Fernandes. Seu Camargo, contou sua história em relação ao amor que tem a pintura, e com toda felicidade mostrou seu lindo trabalho. Já seu Francisco Fernandes diversificou sua entrevista, pois contou um pouco de sua história de vida, falou sobre sua família e o grande amor que tem pelos animais e a preservação ao meu ambiente.

Equipes com filmagens prontas partiram em ação para a segunda parte do trabalho; a edição dos vídeos, tendo como desafio principal fazer a edição e transformar filmagens de 20 minutos em curtas com apenas 3 minutos, desafio no qual foi concluído. A II etapa da Oficina de Multimídia do Projeto Curta em Circuita foi bem proveitoso, pois os participantes juntamente com o facilitador obtiveram ótimos resultados.

Anúncios

Comments (5) »

II Etapa do projeto Curta em Circuito de oficinas audiovisuais em Circuito em Santarém


Josiany Amorim

Está acontecendo no auditório da Casa Brasil de Santarém, oficinas de “Experiências Muldimídia” com Paulo Fehlauer, membro-fundador do premiado Coletivo Garapa (SP) e da Casa da Cultura Digital (SP), na reestréia do projeto de capacitação audiovisual Curta em Circuito em Santarém, que passou por Marabá e Parauapebas, e passará ainda por Manaus e Belém.

Estréia da segunda temporada do projeto de capacitação audiovisual Curta em Circuito, em Santarém, com oficinas de “Experiência Multimídia”, ministradas pelo produtor multimídia paranaense Paulo Fehlauer, do premiado Coletivo Garapa (SP) e fundador da Casa da Cultura Digital, em São Paulo. As oficinas ocorrerão entre os dias 11 a 13 de julho, Casa Brasil de Santarém, com patrocínio da rede colaborativa de Cultura VIVO LAB.

Silêncio no estúdio! Atenção… gravando!

O projeto de capacitação audiovisual Curta em Circuito bem poderia recomeçar assim suas atividades nesta segunda temporada. Não fosse um porém: a palavra de ordem é multimídia. Alunos, preparem todo seu impulso criativo para experimentar à vontade nas mais diversas linguagens com o produtor multimídia paranaense Paulo Fehlauer, do tarimbado Coletivo Garapa (SP). Fehlauer será responsável pelo módulo Experiências Multimídia, que acontece em Santarém entre os dias 11 e 13 de julho, já tendo passado por Marabá e Parauapebas, esta pela primeira vez no circuito.

Difícil encontrar quem ainda não tenha escutado falar em multimídia, simploriamente definida como a integração de diferentes mídias, a exemplo de imagem, texto, áudio e vídeo, para ficarmos nos mais populares, através de tecnologias com suporte digital – PC´s, tablets, smartphones. Apesar de bastante difundido e presente em nosso dia-a-dia, o termo ainda gera um tanto de confusão e poucos podem afirmar que dominam a técnica com todo o potencial que ela oferece em tempos virtuais. Nada como o fundador do Coletivo Garapa e da Casa da Cultura Digital (SP), portanto, para ensinar o bê-á-bá aos jovens aprendizes marabaenses.

Fundada em 2009, a Casa da Cultura Digital é “resultado de algumas décadas, um projeto que começa com a contracultura dos anos 60-70 e vem parar aqui, na cibercultura do século 21, na Barra Funda, em São Paulo”, como seu próprio site a apresenta. Formada por 10 organizações ligadas à cultura digital, lá serão realizadas pesquisas, articulações e o desenvolvimento de idéias sobre jornalismo multimídia, redes, plataformas, entre tantos outros temas que giram em torno da cultura digital. Uma das organizações que se destacam, pensando o jornalismo como prática multimídia, é o Coletivo Garapa, com produção de longa data no que tange às mais diversas tendências audiovisuais contemporâneas.

Paulo Fehlauer já se participou de exposições como a “Habite-se” (SP), sobre os ex-moradores dos edifícios São Vito e Mercúrio – este, o mais famoso treme-treme de São Paulo, desapropriado em 2004 –, em que representou o Coletivo Garapa. No audiovisual, é co-produtor com o coletivo de vários trabalhos multimídia, a exemplo da série “Mulheres Centrais”, cuja mostra foi contemplada pelo XI Prêmio Funarte Marc Ferrez de Fotografia, na categoria documentação fotográfica/registro das transformações do cotidiano na sociedade, reunindo imagens, vídeos e textos sobre 10 mulheres que vivem no centro da capital paulista. Fehlauer, que também escreve em seu blog, o Narua.org, onde divide suas experiências com diversos suportes de comunicação, pretende ainda realizar um mapeamento de suas aulas em um hotsite de iniciativa própria, publicando as experimentações feitas em sala de aula e o conseqüente resultado de suas oficinas pela Região Norte.

As oficinas passarão ainda por Manaus (15 a 17 de julho) e Belém (datas a definir). A segunda temporada do Curta em Circuito marca o início de uma parceria com a operadora VIVO, nova patrocinadora do projeto. As inscrições para as oficinas em todas as cidades já estão abertas e podem ser feitas através dos emails:
lygiacamara@bcbproducoes.com.br e cine@labirintocinemaclube.com.br

Serviço:

Oficinas gratuitas de “Experiências Multimídia” em Parauapebas  

Paulo Fehlauer, ministrante das oficinas;
Local: Casa Brasil (Av. Engenheiro Fernando Guilhon, 125 – Santarenzinho)
Data/horário: de 11 a 13 de julho, das 9h às 12h e 14h às 18h

Para maiores informações:

André Morbach, produtor do projeto Curta em Circuito: (91) 8876-1106 / (91) 8100-3344.

André Morbach (em Santarém): (91) 8876-1106 / (91) 8100-3344

Caco Ishak (em Belém): (91) 8247-1329


Leave a comment »

Take final: chegou ao fim, mas continua


Artigo originalmente extraído do site Curta em Circuito

terça-feira , 15 de fevereiro de 2011

Alguns sinônimos pra despedida são adeus, separação, partida, saída, saudação. Nós, do Curta em Circuito, porém, preferimos um em particular: conclusão. Conclusão de um trabalho que durante quatro meses, divididos em duas etapas, levou quatro módulos de capacitação audiovisual a cerca de 300 jovens aprendizes nos municípios de Belém, Marabá e Santarém, passando ainda por Manaus e Cachoeira do Arari.

Senão pelas cidades em si, pelas comunidades atendidas pelo projeto que seja, nossa missão de levar conhecimento aos que tinham vontade de adquiri-lo, mas careciam de oportunidades pra tanto, foi cumprida apesar dos pesares enfrentados no percalço. Adriane Gama, coordenadora do programa Puraqué, desenvolvido na Casa Brasil, em Santarém, parece concordar: “Já tínhamos mil ideias pra desenvolver no campo do audiovisual e agora poderemos passar a praticá-las e levá-las a outras pessoas da comunidade. Esse será nosso maior objetivo agora”.

Foi no Puraqué que encerramos esta primeira temporada, com as oficinas de “Direção” ministradas por Fernando Segtowick pra alunos de 33 a 13 anos, a exemplo do pequeno Alexandre aka Xandão: “Foi uma experiência bem diferente. Na casa Brasil, a gente mexe mais com software livre, computação, aí vocês chegam e ensinam a como ficar por trás das câmeras, como se a gente estivesse fazendo um filme. Foi muito bom porque vocês não só explicavam, mas também procuravam fazer a gente entender”.

Como não podia deixar de ser, Fernando explorou o lado prático do negócio e levou a molecada pra rodar um documentário curta-metragem sobre a praia do Maracanã. Xandão foi um dos primeiros a aprovar a idéia: “Nossa praia está sendo cada vez mais destruída. Tem lixo por toda parte. As pessoas têm que se conscientizar que essa é uma praia muito bonita e tem que ser cuidada”. Conscientização por todos os ângulos.


E em todas as direções. Diretamente da Suécia – ou, melhor dizendo, Belterra –, Monica de Almeida foi a Santarém tão somente pra participar das oficinas e levar de volta pra sua cidade toda a bagagem adquirida. Detalhe curioso, a moça não é marinheira de primeira viagem: “A oficina foi muito importante, estava precisando aprender mais sobre direção. Temos um telecentro em Belterra, onde nos reunimos em grupos de vídeo participativo e produzimos filmes sobre a vida na cidade. Já rodamos uns oito documentários curtas-metragem, sobre as adolescentes grávidas, o êxodo rural entre os jovens, a própria cidade que é histórica. Através do grupo, já participei até de um intercâmbio na Suécia, junto com outros dois colegas. Tem uma turma bem avançada no audiovisual em Belterra”.

Quem sabe, não aportamos por lá em alguns meses? Melhor ficar no suspense, por enquanto. Não queremos estragar o final da surpresa com nenhum spoiler, afinal de contas. O que prometemos, seguros do que estamos falando, é uma segunda temporada com algumas tantas novidades. Em abril, voltamos a tocar no assunto. Até lá, trabalho concluído. Ou quase isso. A ver. Que por ora se dig parabéns a todos os envolvidos.

Leave a comment »

Praia do Maracanã vira tema de filme coletivo santareno


Por Adriane Gama

Aproveitando a deixa da tendência mundial de produções audiovisuais, trabalhando também com os não atores ou atores não profissionais e mais, quebrando preconceitos de que qualquer manifestação cultural que sai da periferia, tenha uma qualidade inferior, as oficinas de cinema do Curta em Circuito vieram com a proposta de democratizar o conhecimento cinematográfico, onde as pessoas podem sim ter a oportunidade de produzir um filme.

Como ensaio prático da oficina de Direção geral, o cineasta Fernando Segtowick e a equipe do Curta, realizaram no domingo pela manhã do dia 13 de fevereiro, junto com a turma da Casa Brasil, Puraqué e alunos de jornalismo e do teatro santareno, um documentário sobre a praia urbana de Santarém, a conhecida praia do Maracangalha.

Foi uma experiência coletiva muito boa, planejada no dia anterior, pelos participantes, os quais foram distribuídos em equipes com funções específicas que vai desde o cinegrafista, produtores, assistentes, roteirista a diretores. Foram feitas panorâmicas da praia numa canoa e realizadas várias entrevistas com os donos das barracas de alimentação e banhistas.

Conhecemos um pouco da realidade desse balneário e podemos perceber o quão ela ainda é preservada, apesar dos impactos humanos e democrática, por ser visitada por gente de todos as classes, raças e estilos. Assim é a praia do Maracanã! O filme na íntegra, será divulgada nos próximos dias, neste blogão e no site do Curta em Circuito. Prestigiem!

Comments (1) »

Final de semana com ensaios em cena de Direção Geral


Por Adriane Gama

O último módulo do projeto audiovisual Curta em Circuito em Santarém, com a oficina de Direção Geral, facilitada pelo cineasta paraense Fernando Segtowick, fecha sua primeira etapa com chave de ouro e com a promessa de uma próxima temporada dando continuidade nas suas atividades voltadas para o cinema. Esta oficina aconteceu no último final de semana, no auditório da Casa Brasil, contando com a participação de representantes da área do teatro, jornalismo e da cultura digital santarena e de Belterra.

O diretor e roteirista Fernando Segtowick, entre dinâmicas, cineclubismo, teoria e muitas práticas de direção, deu um show de profissionalismo, compartilhando seus conhecimentos e sua experiência sólida de 10 anos com o audiovisual. As aulas práticas foram realmente as atividades que mais instigaram os participantes, de como produzir e dirigir um filme. Sempre em equipes, as pessoas presentes sentiram o gosto de como atuar como diretor e de quebra, interpretar um personagem com arco dramático. Essas mini produções dos alunos serão logo editadas e disponibilizadas na rede, no site do Curta em Circuito e neste blogão da Casa.


A história mundial do cinema, foi contada nesta oficina, desde seu surgimento como atração evoluindo para a narrativa do conteúdo, com montagem, planos, movimentos e posições da câmera, feitura dos filmes com gêneros e trilha sonora até o reconhecimento da figura do diretor, a partir da década 60, como de fato o autor do filme. Durante o encontro, foram analisadas coletivamente as produções cinematográficas principais de Fernando: “Dias” (2000), “Jovens Tefé- AM” (2008) e “Matinta(2009), seu mais recente curta metragem, vencedor de dois prêmios no Festival de Cinema, em Brasília. No domingo pela manhã, até um ensaio de filme colaborativo foi produzido na praia do Maracanã, uma praia urbana da cidade, envolvendo não somente a equipe como os banhistas e vendedores que estavam no local.

Enfim, o que se leva na prática dessa oficina, é que para ser um bom diretor, uma boa ideia, roteiro e criatividade, são essenciais para realizar uma produção, mas um bom hábito de sempre apreciar vários tipos de filmes, é pura inspiração de criação, afinal de contas, cinema tem a propriedade de produção. Segundo o próprio Fernando Segtowick, “o papel do diretor, além de ter muito jogo de cintura de comandar uma equipe, ter conhecimento da feitura de um filme, é preciso ser claro naquilo que pretende mostrar o público, e vale a dica, pesquisa de conteúdo, não se limita apenas na internet, mas sim com pessoas, o verdadeiro olhar da realidade”, ressalta.


Comments (1) »

A arte de interpretar na oficina de Direção de Ator do Curta em Circuito


Por Adriane Gama

Ser ator é tornar real aquilo que tá no papel, abrir gavetas de emoções a medida que ele precisa usar. Ator não mente, não é maluco, ator é experimentar e vivenciar, reunir informações e tê-las nas mãos na hora que precisar. A função do diretor de ator, por sua vez, é a preparação do ator na construção do personagem, prepará-lo para frente da câmera. Com essas frases de contéudo, intercalando com longas e curtas, produzidas pelo próprio cineasta Adriano Barroso e por clássicos mundiais do cinema, mesclaram a oficina de Direção de ator, no auditório da Casa Brasil de Santarém, que aconteceram nos dias 4, 5 e 6 de fevereiro.

Os últimos dias foram marcados pela parte prática. As pessoas foram divididas em grupos e ensaiaram cenas do filme Miguel Miguel, interpretando os personagens desta obra. Essa parte foi muito interessante, porque Adriano pode interagir direto com cada participante, como diretor de ator, dando dicas de como agir e trabalhar diante da câmera. No domingo pela manhã, pela ocasião desta oficina, teve a visita do cineasta santareno, Emano Loureiro, o qual atuou como ator juntos com os participantes. Na vida de ator pode até ter um certo glamour, mas na verdade, estudar e se aperfeiçoar cada vez são essenciais para conquistar seu espaço nesta profissão artística.

As interpretações desses grandes artistas amadores estarão em breve no site do Curta em Circuito e neste blogão. Aguardem!

Leave a comment »

Cineclube 1ª Estação especial inicia 2011 com Miguel Miguel


Por Adriane Gama

Finalmente o Cineclube 1ª Estação, versão 2011 retorna suas atividades cineclubistas na Casa Brasil de Santarém. Após o período de recesso da Unidade, este cine volta no mês de fevereiro, em edição dupla, nos dias 5 e 12 de fevereiro, junto com as oficinas audiovisuais do projeto Curta em Circuito, respectivamente com os módulos de Direção de ator e Direção Geral, com a presença de dois cineastas paraenses: Adriano Barroso e Fernando Segtowick.

Dessa vez, o 1ª Estação, estará homenageando in loco, esses dois diretores do cinema paraense, Adriano e Fernando com seus respectivos filmes: a minissérie Miguel Miguel (Roteiro e Direção de arte) e Matinta (Direção), inclusive vencedor em Festival de curtas, os quais estarão presentes na hora da roda de conversa para dialogar com a comunidade sobre suas obras cinematográficas. Miguel Miguel, baseada na obra homônima de Haroldo Maranhão, marca a primeira sessão de cineclube nesta Unidade, trazendo a história de amizade de dois casais de amigos, a qual é abalada pela morte de Miguel. Quinze anos depois, Varão e Úrsula recebem a notícia de que o amigo dado como morto havia falecido de novo.

O Cineclube 1ª Estação faz parte do movimento cineclubista brasileiro e mundial que tem como uma política principal, a democratização gratuita da cultura cinematográfica e estimula a promoção coletiva da consciência crítica das pessoas através da arte, conteúdo e linguagem audiovisual do cinema, com rodas de conversas após a exibição de cada filme. Este cineclube acontece a cada último sábado do mês, no auditório da Casa Brasil de Santarém, na Grande Área do Santarenzinho e do Maracanã, recebendo todos os públicos interessados, de criança a maior idade.

Convite feito, esperamos contar com os apaixonados pela arte do cinema nesta edição mais que especial. E lembrem-se sempre dessa dica: quando ver a faixa do Cineclube 1ª Estação nos altos do prédio da Casa Brasil de Santarém, significa que tem cinema gratuito em ação neste lugar. De olho na agenda cineclubista do mês de fevereiro do Cineclube 1ª Estação:

5 de fevereiro de 2011 (sábado) Filme: Miguel, Miguel Diretor: Roger Elarat Horário: 18h Local: Auditório da Casa Brasil de Santarém Rod. Fernando Guilhon, 12 – Santarenzinho (Próximo da primeira rotatória) 12 de fevereiro de 2011 (sábado) Filme: Matinta Diretor: Fernando Segtowick Horário: 18h Rod. Fernando Guilhon, 12 – Santarenzinho (Próximo da primeira rotatória)

Leave a comment »

%d blogueiros gostam disto: