Neste final de semana, Cineclube 1ª Estação vem de faroeste e musical


 Por Adriane Gama

O Cineclube 1ª Estação deste mês entra em cena com muito movimento e canção que só o cinema sabe traduzir, de forma mágica, para os amantes da 7ª arte. Os filmes da vez, são duas obras cinematográficas de gêneros bem peculiar: musical e faroeste. A novidade neste cineclube são os novos horários das super sessões: 15h e 18h, uma hora mais cedo para curtir melhor as rodas de conversas que acontecem sempre após cada exibição. Então, vamos ao que interessa, comentar os filmes em destaque, respectivamente: “O mágico de Oz”, de Victor Fleming e “O assassinato de Jesse James pelo covarde Robert Ford”, do diretor e roteirista neozeolandês Andrew Dominik.

Não há lugar melhor como o nosso lar” – Dorothy

A primeira sessão apresenta um dos mais belos clássicos do cinema mundial, trata-se do irradiante musical “O Mágico de Oz” (1939). Baseado no livro infantil escrito por L. Frank Baum em 1900, é uma das mais conhecidas versões cinematográficas de todos os tempos, estrelando Judy Garland como Dorothy. Este filme conta a história de aventuras de uma garota que foi transportada por um tornado para um estranho mundo mágico de bruxas, leões covardes, espantalhos falantes, homem de lata e de muito mais. A cenografia, figurinos, iluminação e trilha musical foram produzidos dentro do que havia de mais moderno e avançado na indústria cinematográfica daquela época. O Mágico de Oz fez um uso revolucionário das primeiras experiências com a técnica technicolor, como foi mostrado nas sequências no Kansas que tinham tons em preto-e-branco, enquanto as cenas em Oz recebiam as cores vibrantes do Technicolor.

Depois de 72 anos, esse belo filme ainda é capaz de despertar em cada um de nós, interesse maior pela fantasia e por sonhos em que vivem fadas, bruxas, animais que falam e mágicos poderosos. Pois vivemos numa realidade, muitas vezes, cruel que tenta nos roubar a possibilidade da utopia e da imaginação, assim com a amizade e amor familiar. As pessoas atualmente vivem e visualizam situações de violência na televisão, por exemplo, todos os dias. E mais do que isso, esta obra mostra através dos seus célebres personagens, as virtudes mais profundas e verdadeiras que todos nós podemos ter e colocá-los para cima, como a nossa auto-estima. “O Mágico de Óz” consagra-se como uma dessas portas de entrada que nos transporta para um outro mundo, onde a maldade, o ódio e a descrença na humanidade são deixadas para trás. Essa é a magia do cinema, o qual em grande parte nos supre essa necessidade, felizmente, através da arte, inteligência humana e grandes histórias. E se quisermos, está bem ao nosso alcance, basta nos esforçarmos para chegar lá, além do arco-íris.

Você quer se parecer comigo ou você quer ser eu?” – Jesse James

O gênero faroeste toma conta da segunda sessão, exibindo a história da morte de Jesse James (Brad Pitt), um lendário fora da lei, líder de gangues no velho-oeste americano, admirado por muitos e odiado por outros. Seu assassinato se deu pelo despercebido Robert Ford (Casey Affleck), 19 anos, que passou a infância lendo relatos exagerados das proezas do pistoleiro. Fã devoto, acreditava ser destinado a substituir seu grande ídolo, se infiltrando como membro da gangue de Jesse, atira em suas costas para receber uma recompensa também almejada por vários ávidos inimigos.

Neste longa-metragem de Dominik, que dispensa o clichê western deste gênero como a ação física, se preocupa apenas em capturar as emoções de seus dois protagonistas. Com uma fotografia que abusa de lentes grande-angulares para capturar belíssimas paisagens naturais, mostra a passagem complexa de um homem que após 12 anos de assaltos espetaculares, pressente o cerco se fechar aos poucos, o qual exausto e doente, Jesse compreende aos poucos que não tem como evitar um encontro desagradável com o destino. Naquele momento, o pistoleiro já compreendia que escapar de um atentado não significaria muito. Haveria outros “Bob Ford”. O status de lenda viva só lhe daria sossego após a morte.

Nesta semana, ingressos grátis disponíveis para a comunidade, na sede da Casa Brasil de Santarém, no horário comercial. Venha participar!

Confira a programação do Cineclube 1ª Estação:

1ª sessão: 15h (30 de abril de 2011)

Filme: O Mágico de Óz, EUA, 1939

Direção de Victor Fleming

Elenco: Judy Garland, Ray Bolger, Jack Haley, Bert Lahr, Frank Morgan,
Billie Burke, Margareth Hamilton, Charley Grapewin, Clara Blandick.
Duração/Gênero:- 101 min., Musical

Local: Auditório da Casa Brasil de Santarém

End: Rod. Fernando Guilhon, 12 – Santarenzinho (próximo a primeira rotatória e do posto São João)

2ª sessão: 18h (30 de abril de 2011)

Filme: O Assassinato de Jesse James pelo Covarde Robert Ford, EUA, 2007
Direção: Andrew Dominik
Elenco: Brad Pitt, Casey Affleck, Sam Rockwell, Jeremy Renner
Duração/ Gênero: 160 minutos, Faroeste

Local: Auditório da Casa Brasil de Santarém

End: Rod. Fernando Guilhon, 12 – Santarenzinho (próximo a primeira rotatória e do posto São João)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: